CULTURA ORGANIZACIONAL: O DNA DA EMPRESA

A Cultura Organizacional é o “fio condutor” da estratégia e da execução de qualquer empresa, esteja ela manifestada de maneira tácita ou explícita.

A Cultura é o código que define “quem realmente é” a organização. Como ela se comunica com seus stakeholders em todas as dimensões dos contextos de atuação (interno, comercial e institucional).

Por isso, e por analogia, podemos dizer que a Cultura é o DNA da organização!

Vejamos uma definição de DNA biológico retirada da Wikipédia:

“Composto orgânico cujas moléculas timina, citosina, guanina, adenina contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos e alguns vírus, e que transmitem as características hereditárias de cada ser vivo. A sua principal função é armazenar as informações necessárias para a construção das proteínas….”

O DNA biológico, composto de 4 bases hidrogenadas – adenina, citosina, guanina e timina – estão sempre presentes em todos os seres vivos, mas ainda assim somos absolutamente diferentes.

Nas mentorias de Cultura & Estratégia, desenvolvi minha própria definição de DNA Organizacional:

Conjunto de premissas – Propósito, Missão, Visão de Futuro, Valores e Competências Essenciais – que contém as instruções organizacionais que orientam a atuação da empresa e transmitem sua natureza e características desenvolvidas ao longo da sua história.

O DNA organizacional tem as 5 premissas presentes em todas as organizações, seja qual for sua natureza (privada, pública, sem fins lucrativos, ONG´s), mas o conteúdo da declaração é único para cada uma.

A principal função é comunicar os compromissos da organização na construção dos relacionamentos com os stakeholders.

A definição das premissas pode até ser parecida entre as organizações, porém os artefatos que compõem a Cultura e a forma como é aplicada na condução dos negócios são absolutamente diferentes.

Por exemplo, existe um Valor muito comum e declarado na Cultura: Ética.

Porém, a definição de Ética e os comportamentos que devem ser adotados no dia a dia, são normalmente diferentes entre as organizações.

Se o DNA biológico traduz a forma como os seres vivos se constituem, o DNA organizacional traduz, pela Cultura, a forma “como as coisas acontecem por aqui” e que não está suscetível a discussões e questionamentos.

No livro O Novo Código da Cultura, Sandro Magaldi e José Salibi Neto, destacam algumas situações onde a Cultura se manifesta:

> A forma como a empresa gerencia seus negócios.

> A natureza e as particularidades do tratamento com todos os stakeholders.

> O grau de lealdade existente entre seus colaboradores.

> As normas, formais e informais, que orientam o comportamento de todos os componentes da organização.

Você acha que tratar a Cultura como DNA pode ajudar na comunicação e no atendimento das premissas básicas?

Gostaria de ver seus comentários!