DESIGUALDADE DE GÊNERO. ATÉ QUANDO?

O relatório WOMEN IN THE WORKPLACE 2020, da Mckinsey mostra dados conclusivos sobre a imensa desigualdade de gênero na medida da evolução da carreira de mulheres (negras e brancas) e homens (negros e brancos).

· Cargos de entrada: homens 53% / mulheres 47%
· Gerência: homens 62% / mulheres 38%
· Gerência Senior / Direção: homens 66% / mulheres 34%
· VP´s: homens 70% / mulheres 30%
· VP Senior: homens 72% / mulheres 28%
· C-Level: homens 78% / mulheres 22%

O relatório também segmenta negros e brancos, e em ambos a disparidade é também enorme.

A pandemia também afetou de forma muito mais intensa as mulheres no trabalho, podendo atrasar em meia década o seu desenvolvimento profissional. Com a jornada dupla – casa/família e trabalho – o nível de esgotamento das mulheres é muito maior do que os homens, levando a uma propensão de deixar o emprego 1,5 vezes maior do que os homens.

Para além das informações alarmantes do relatório, fico me perguntando quando efetivamente vamos sair do discurso de equidade e partir, de fato, para que as oportunidades sejam cada vez mais igualitárias, independente de gênero, cor, religião, opção sexual, condição social?