COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA – A FORÇA DAS PALAVRAS

Em minha experiência de liderança e gestão e nas diversas oportunidades de construção de relacionamentos saudáveis, tomo muito cuidado com a forma e o conteúdo da minha comunicação.

O conteúdo está sempre associado aos temas que estão sendo abordados nas diversas situações e aos objetivos que se busca atingir nesses diálogos. Claro, conteúdo de qualidade vai ajudar, e muito, para que a mensagem seja compreendida.



Porém, para o sucesso da comunicação, além do conteúdo, é importante o formato.

Já vi discursos cheios de conteúdos positivos serem perdidos por uma expressão corporal inadequada que não reforçava a comunicação – ao contrário, mostrava desalinhamento – e com o uso de palavras pronunciadas de forma a levar o interlocutor a ler nas entrelinhas uma mensagem diferente dos objetivos manifestos do discurso.

Muitas vezes, principalmente na comunicação interpessoal, um a um, usamos palavras ou expressões que trazem em seu significado juízo de valor, indiferença, ironia, raiva, desprezo, desconsideração.
Por isso, devemos ter atenção no uso das palavras e expressões que gerem impactos positivos e permitam que os “canais” permaneçam abertos durante todo o trabalho da liderança.

Veja alguns exemplos de impactos negativos de palavras e expressões:

• 𝗣𝗿𝗼𝗷𝗲𝗰̧𝗮̃𝗼 𝗱𝗲𝗳𝗼𝗿𝗺𝗮𝗻𝘁𝗲
– Só você mesmo…

• 𝗗𝗲𝘀𝗾𝘂𝗮𝗹𝗶𝗳𝗶𝗰𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼
– Vou explicar de novo…

• 𝗜𝗿𝗿𝗶𝘁𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼
– Veja bem…

• 𝗗𝗲𝘀𝘁𝗿𝘂𝗶𝗰̧𝗮̃𝗼
– Sei que você vai entender que…

• 𝗠𝗮𝗻𝗶𝗽𝘂𝗹𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼
– É claro que…

Agora, alguns exemplos de impactos positivos:

• 𝗣𝗿𝗼𝗷𝗲𝗰̧𝗮̃𝗼 𝗰𝗼𝗻𝘀𝘁𝗿𝘂𝘁𝗶𝘃𝗮
– Voltando à sua posição inicial…

• 𝗣𝗿𝗼𝗽𝗼𝘀𝗶𝗰̧𝗮̃𝗼
– É muito bom falar com você sobre…

• 𝗔𝗽𝗿𝗼𝘅𝗶𝗺𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼
– Acho que podemos juntos…

• 𝗥𝗲𝗳𝗹𝗲𝘅𝗮̃𝗼
– Entendo que devemos pensar sobre…

Faça uma reflexão sobre como tem usado as palavras nos diálogos com as pessoas e compartilha aqui comigo! Sua experiência pode ajudar muito!